Top 10 Factos Incríveis, Incomuns ou Interessantes sobre Lisboa

1. Lisboa não é a capital

OK, estritamente falando, isso não é exatamente verdade.   

Mas, na verdade, Lisboa nunca foi declarada ou confirmada como a capital em nenhum documento oficial, ao contrário da maioria das outras capitais. Ele simplesmente se tornou a capital de facto quando em 1255 Afonso III de Portugal moveu a corte para o que se tornou a maior e mais importante cidade de Portugal.

Talvez para compensar esta falta de estatuto oficial, para além de ser a capital de Portugal, a cidade é agora também a capital do Distrito de Lisboa, a capital da Região de Lisboa e por último mas não menos importante a capital da Região Metropolitana de Lisboa. Lisboa. Percebido? Ufa!

2. Lisboa é mais antiga que Roma

E de acordo com a maioria das estimativas, cerca de 4 séculos mais velhos. É, de fato, uma das capitais europeias mais antiga depois de Atenas, muitos historiadores acreditam que foi colonizada pelos fenícios por volta de 1200 a.C., e que usaram as excelentes possibilidades de transporte oferecidas pelo rio Tejo. Uma das teorias para a origem do nome Lisboa é que veio do termo "Allis Ubbo" ou "porto seguro" em fenício.

3. A bandeira de Lisboa sobrevoa a cidade de Ceuta

Ceuta está localizada no norte da África, cercada por Marrocos, mas na verdade é oficialmente parte da Espanha (comparações com Gibraltar não devem ser feitas na presença de qualquer espanhol ). A primeira bandeira a sobrevoar a cidade, e ainda usada até hoje, foi a gyronny preta e branca de Lisboa (um escudo dividido em 8 partes triangulares), devido ao fato de os portugueses ocuparem Ceuta em 1415.

Além disso, o casaco de Ceuta of Arms é, na verdade, o de Portugal! Houve pequenas mudanças ao longo dos anos, mas as semelhanças ainda permanecem, como pode ser visto acima. Como um aparte, diz-se que as cores preto e branco na bandeira, e também usadas na onipresente Calçada Portuguesa das calçadas de Lisboa, se originam do traje religioso negro usado por São Vicente, o padroeiro da cidade, e as túnicas brancas usadas pelos cruzados cristãos.

4. O eléctrico típico de Lisboa é de facto americano

Embora suas origens possam ser atribuídas a bondes puxados por cavalos industriais no Reino Unido, os primeiros elétricos de passageiros foram construídos e introduzidos nos EUA no século XIX. Eles foram puxados por cavalos e algumas das primeiras rotas foram em Harlem, Nova York e Nova Orleans. Os trilhos foram inicialmente instalados acima do nível do solo no topo da superfície da rua e foram a causa de muitos problemas e acidentes com pedestres.

Eles foram então substituídos por trilhos sulcados que existem até hoje. Esses trilhos são chamados de “carris” em português, e este é o nome dado à empresa de transporte público de Lisboa que opera os elétricos hoje. Devido às suas origens, os elétricos de Lisboa eram originalmente chamados americanos e a primeira rota operacional foi inaugurada em 17 de novembro de 1873, correndo entre a Estação da Linha Norte e Leste (agora conhecida como Santa Apolónia e o “Aterro da Boa Vista” em Santos.

5. Uma das melhores atrações da cidade é aquela que você (provavelmente) nunca verá

As galerias romanas ou galerias subterrâneas romanas, que dizem ser um pórtico da cripta do reinado de Augusto (século I aC a I dC), estão localizadas na Rua da Prata, no centro da cidade de Lisboa. . Eles são particularmente difíceis de ver, no entanto, porque abrem para a exibição pública apenas uma vez por ano, normalmente em setembro. Isto é porque eles são quase impossíveis de acessar, grande parte da área sendo inundada, e leva-se qualquer coisa até um mês de trabalho por pessoal especializado para preparar este monumento para acesso público. Naturalmente, durante as poucas horas, elas são abertas, enormes filas se formam e o tempo de espera pode ser de até 3 horas. E o acesso é feito através de um buraco no chão, localizado no meio da rua e enquanto carros e bondes passam o tempo todo. Bem, pelo menos a entrada é grátis!

Adicionado: este vídeo é da versão em português do History Channel. Ele dá uma boa ideia de como são as galerias romanas e como você as acessa…

7. O ícone de referência de Lisboa, a Torre de Belém, era um simples posto alfandegário

E também uma cadeia. E também um farol. E também um posto telegráfico. A Torre de Belém, cuja construção foi iniciada em 1514, é possivelmente o monumento mais conhecido de Lisboa e foi escolhida como uma das Sete Maravilhas de Portugal em uma cerimônia de aquecimento para a eleição das Sete Maravilhas do Mundo em Lisboa em 2007. Património Mundial da Humanidade, serve como um legado para a gloriosa Era dos Descobrimentos de Portugal e, juntamente com o Mosteiro dos Jerónimos, ajuda a tornar o belo distrito de Belém um dos mais visitados da cidade.

Que começo ignóbil então para este monumento majestoso!
Certo, é verdade que começou originalmente como uma torre defensiva, guardando a entrada do rio Tejo e localizada no litoral totalmente cercada por água (as margens do rio mudaram desde então). Mas, de acordo com muitos historiadores, a altura da torre e a falta de integração na paisagem circundante indica que talvez sempre tenha sido um posto avançado da alfândega. Seus depósitos de pólvora foram usados como masmorras para presos políticos durante o reinado de Filipe II da Espanha e, nos séculos posteriores, serviu Lisboa fielmente como uma torre de farol e telégrafo. Hoje, o que originalmente foi visto como uma construção temível e agressiva é uma referência cultural e amada por todos que visitam suas antigas paredes esculpidas.

8. Alfama, tradicional bairro de pescadores e marinheiros da Cidade Velha, era, de facto, um retiro aristocrático semelhante a um spa.

Você provavelmente sabe que Alfama é o bairro mais antigo de Lisboa. Você pode ter ouvido dizer que foi o único distrito de Lisboa que sobreviveu ao terremoto de 1755 intacto e de sua reputação como o tradicional bairro dos pobres, com uma atmosfera de aldeia. Mas sabia que durante o reinado muçulmano o lado ocidental do bairro, em torno da rua São João da Praça, perto da Sé ou da Catedral, era conhecido como Alfama do Alto, e era habitado pela nobreza e pela rico? Como a origem do nome é al-hamma, árabe para banhos ou fontes, é provável que eles tenham aproveitado as fontes locais para manter sua saúde.

Durante a Idade Média, os ricos se mudaram, deixando todo o distrito para os habitantes de Alfama do Mar, a área ocupada pelos pescadores, marinheiros e pobres. As águas locais foram canalizadas para fontes públicas ou “chaferizes” (Chafariz de El-Rei é uma dessas fontes públicas e Chafariz do Dentro é uma rua em Alfama), e teve temperaturas de até 20ºC. Como tal, foram também utilizados para banhos públicos do século XVII ao início do século XX, sendo classificados no final do século XIX como águas medicinais-minerais. Hoje os banhos públicos estão fechados, mas muitas das antigas casas e praças pitorescas de Alfama estão sendo reformadas, tornando-se uma das áreas mais atraentes da cidade tanto para morar como para visitar. Quem sabe um dia a aristocracia de Lisboa volte aqui?

9. Portugal conquistou Lisboa

Hã? Então como é isso? Bem, o Cerco de Lisboa ocorreu durante a Reconquista Cristã, varrendo a Península Ibérica, e foi uma das batalhas mais importantes durante a Segunda Cruzada, e de fato uma das poucas vitórias cristãs durante esse tempo. Os cruzados partiram para Portugal com a intenção de derrubar os mouros, mas o mau tempo obrigou-os a desembarcar no Porto, onde se encontraram com D. Afonso I, Afonso Henriques.

Tendo juntado forças, colocaram Lisboa em estado de sítio e os mouros acabaram por se render 4 meses depois. Portugal, na época, era um reino independente no norte do país, tendo anteriormente se separado do reino espanhol de Leão. Antes disso, Portucale era um Reino Suébico que cobria o norte de Portugal e a Galícia, então também o primeiro concelho (Condado de Portucale). O nome deriva do latim “Portus” ou Porto e o grego “Kalós” ou belo. Outra teoria menciona que Cale ou Gale era o antigo nome de Vila Nova de Gaia (localizado no distrito do Porto), vindo do “vendaval” celta que significa estrangeiro, e possivelmente originário da tribo Gallaeci que vive nesta área. Em todo caso, o rei de Portugal invadiu e conquistou Lisboa, e logo depois ordenou que a grande mesquita, chamada Aljama, se convertesse em uma catedral, tornando-se a famosa "Sé" de Lisboa.

10. Lisboa é melhor

Finalmente, este último fato é, na verdade, uma mistura de fatos sobre Lisboa. E isso é um fato!

- O Tejo é o maior rio da Ibéria e o seu estuário em Lisboa, com até 14 km de largura, é considerado grande o suficiente para conter todos os navios de guerra do mundo.

- Nos séculos anteriores, uma tradição local foi a precursora dos modismos atuais do naturismo e do nudismo: para os banhos semanais, as pessoas desciam os degraus da Praça do Comércio para banharem-se nus no rio, provocando escândalo e indignação na época.

- A Meia Maratona de Lisboa, realizada todos os anos em março, é um dos eventos mais assistidos do gênero no mundo.

- Lisboa ocupa o primeiro lugar no ranking das cidades portuguesas mais habitáveis, publicado anualmente pelo jornal Expresso.

- Lisboa tem um dos climas mais amenos da Europa. A cidade é ensolarada durante todo o ano, com uma média anual de 2900-3300 horas de sol.

- A Ponte Vasco da Gama, em Lisboa, é a ponte mais longa da Europa. O recorde mundial para a maior mesa de jantar foi definido quando cerca de 15.000 pessoas foram servidas como almoço na ponte como parte das comemorações de inauguração.

- A maior palco do mundo, com inacreditáveis 7.276 metros quadrados, foi instalado no Estádio Benfica, em Lisboa, para sediar a edição de 2007 da Seven Wonders of the World.

- O espetacular Aqueduto das Águas Livres da cidade, o aqueduto que ainda traz água para as antigas fontes de Lisboa, possui o arco ogival mais alto do mundo, com 65 metros de altura e 29 metros de largura.

- A igreja de Santa Engrácia está no Guinness Book of Records e teve o maior tempo de construção de todas as igrejas: começou no século 17 e somente em 1966 foi a última cúpula completada.

- O clube de futebol do Benfica está listado no Guinness Book of Records por ter o maior número de adeptos para qualquer clube de futebol: um total estimado de 14 milhões em todo o mundo e mais de 170.000 registados para pagar adeptos.

- O maior logotipo humano foi composto por 34.000 pessoas e fez parte da candidatura bem-sucedida de Portugal para sediar o campeonato de futebol do Euro 2004. Eles também completaram o maior futebol com um diâmetro de 19 pés e 10 polegadas (6,06 m)!

- A maior bandeira nacional humana foi criada em 2006 no estádio nacional de Lisboa por 18.788 pessoas

- Por último, a mais longa onda mexicana envolveu 8.453 participantes e foi organizada no Parque das Nações, em Lisboa, em 12 de Agosto de 2007.

E isso é tudo, pessoal!

Carregando
Oops!
Está a executar um navegador da web que não suportamos. Por favor, actualize-o para ter uma melhor experiência.
Nosso website funciona melhor com Google Chrome.
Como actualizar seu browser